Câmara de Salto faz sessão solene em comemoração ao Dia do Professor

Sessão Solene - Dia do Professor - 2018 1

Salto, 18 de outubro de 2018

Na noite de quarta-feira, dia 17, a Câmara da Estância Turística de Salto realizou Sessão Solene para comemorar o Dia do Professor. A solenidade de homenagem aos professores foi instituída pelo Projeto de Decreto Legislativo nº 001/2017 de autoria do vereador Divaldo Aparecido dos Santos “Garotinho” - no qual destaca a importância da sociedade valorizar o papel destes profissionais que atuam diretamente na formação de indivíduos mais críticos e reflexivos.

Neste ano, a homenageada foi a professora aposentada Rosi Mari Aparecida Ferrari, tendo sido indicado pela Mesa Diretora do Poder Legislativo Saltense, para representar os professores de nossa cidade.

As autoridades que prestigiaram o evento fizeram seus pronunciamentos e, em seguida, os professores presentes no público foram agraciados com uma singela homenagem, recebendo um botão de rosa. Na sequência, foi feita a leitura de breve histórico sobre a vida pessoal e profissional da professora homenageada. E, senhora Rosi Ferrari recebeu dos vereadores uma placa comemorativa e um bouquê de flores.

Estiveram presentes amigos da homenageada, e também o secretário de Educação, José Carlos Grigoletto, o representante da Diretoria de Ensino Região de Itu, Antônio Luciano Zinsly, a representante da APEOESP (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo), – subsede Salto, Rita Leite Diniz, o presidente do Conselho Municipal de Educação, Rodrigo Lucas de Oliveira, e a secretária de Ação Social e Cidadania, Cristiane dos Santos de Souza Vitório.

Além do presidente da Casa de Leis, Luiz Carlos Batista, participaram da solenidade os vereadores Divaldo Aparecido dos Santos “Garotinho”, Alexandre Martins “Xandão”, Márcio Conrado, Dr. Otávio José Castanha Miralhes, José Benedito de Carvalho “Macaia”, Edemilson Pereira dos Santos, Lafaiete Pinheiro dos Santos, Clodoaldo Martins de Oliveira e Roberto Natalino Silveira.

Sessão Solene - Dia do Professor - 2018 4

Sobre a homenageada – Rosi Mari Aparecida Ferrari nasceu em Salto, sendo também a cidade onde reside atualmente. É professora aposentada, filha do saudoso Roberto Ferrari e de dona Antônia Corazza Ferrari. Sua família é tradicional na cidade, inclusive destacando-se no cenário político do município. O avô, Hilário Ferrari, foi prefeito de Salto, por dois mandatos. Rosi Ferrari também participou da vida política da cidade, foi a primeira mulher saltense a eleger-se vereadora, ocupando o cargo por 16 anos, com um trabalho voltado em benefício das mulheres e dos menos favorecidos.

Como profissional da área da educação, participou de vários movimentos sociais de Salto, especialmente ligados ao ensino. Estudou no Colégio Sagrada Família e fez seus estudos secundários no “Educandário Nossa Senhora da Glória”, em São Paulo. Formou-se professora na escola normal do colégio “Paula Santos” e concluiu seu curso universitário formando-se em “Estudos Sociais e Pedagogia”. Concluiu o curso de História na Faculdade de Ciências e Letras “Plínio Augusto do Amaral”, na cidade de Amparo. Foram 34 anos dedicados à educação de centenas de alunos, tendo trabalhado em diversas escolas de Salto.

O Dia do Professor - Segundo consta no site da Secretaria da Educação do Governo de São Paulo, no dia 15 de outubro de 1827 (dia consagrado à educadora Santa Teresa de Ávila), D. Pedro I, Imperador do Brasil, baixou um Decreto Imperial que criou o Ensino Elementar no Brasil. O decreto determinava que "todas as cidades, vilas e lugarejos tivessem suas escolas de primeiras letras". Esse decreto falava basicamente da descentralização do ensino, do salário dos professores, das matérias básicas que todos os alunos deveriam aprender e até sobre como os professores deveriam ser contratados. Cento e vinte anos depois do decreto, em 1947, um professor paulista teve a ideia de transformar a data em feriado e iniciou a tradição de homenagear os professores no dia 15 de outubro, em referência ao decreto de D. Pedro I. A ideia surgiu porque o período letivo do segundo semestre escolar era muito longo. Assim, um pequeno grupo de quatro educadores organizou um dia de folga, que também serviria como uma data para se analisar os rumos do restante do ano letivo, sendo sugerido que esse encontro acontecesse no dia 15 de outubro, tendo a presença de professores e alunos. A celebração, que se mostrou um sucesso, espalhou-se pela cidade e pelo país nos anos seguintes, até ser oficializada nacionalmente como feriado escolar pelo Decreto Federal 52.682, de 14 de outubro de 1963.