Edemilson pede que CETESB tome providências sobre descarga de dejetos no Córrego Guaraú

despejo-dejetos-no córrego guaraú 1

Salto, 11 de junho de 2018

O vereador Edemilson Pereira dos Santos encaminhou, nesta semana, ofício para a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB) / Agência Ambiental de Itu, solicitando intervenção referente à descarga de dejetos no Córrego Guaraú.

No texto, o edil salienta que este órgão ambiental deve controlar, fiscalizar, além de fazer o monitoramento e licenciamento de atividades geradoras de poluição, com a preocupação fundamental de preservar e recuperar a qualidade das águas, do ar e do solo.

O vereador aponta que há cerca de 10 dias que o Córrego Guaraú vem sofrendo com a descarga de dejetos, deixando a água escura e com materiais/dejetos da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Canjica, no Município de Itu.

 

“Os moradores dos bairros Salto de São José, Condomínio Paineiras e Madre Paulina têm reclamado do mau cheiro do esgoto que está sendo despejado diariamente no Rio, e está sendo um grande problema conviver com o odor que entra nas casas”.

despejo-dejetos-no córrego guaraú 2

 

Por isso, na última sexta-feira, dia 08, os vereadores Edemilson, Cícero Granjeiro Landim, Celso Charnoski “Alemão” e José Benedito de Carvalho “Macaia” visitaram a ETE e foram informados pelo seu representante que houve um problema técnico e que seria sanado.

 

“A estação de tratamento funciona pelo processo de lodos ativados de alta carga e o seu lançamento final no Córrego Guaraú, apesar de enquadrado na classe 2, não pode desobedecer a legislação vigente. Portanto, solicitamos a possível intervenção, para uma vistoria que avalie a situação da Estação de Tratamento, além do rio e que sejam apuradas as consequências ao meio Ambiente e cobradas providências da empresa CIS – Companhia Ituana de Saneamento, Prefeitura da Cidade de Itu, tendo em vista que a missão da CETESB é promover a melhoria e garantir a qualidade do Meio Ambiente no Estado de São Paulo, visando ao desenvolvimento social e econômico sustentável”, explicou Edemilson.

 

*Com informações do vereador Edemilson Pereira dos Santos.